Melhorando a comunicação nos relacionamentos

Data

Você já teve essa sensação de que, às vezes, parece que conversar sobre um problema só gera ainda mais problemas? Então, leia até o final e descubra como melhorar a comunicação nos relacionamentos amorosos, familiares, sociais, etc.

Para entender como se comunicar melhor, você precisa entender que existem 3 tipos de comunicação:

1. Passiva – quando a pessoa não expressa o que a incomodou, por medo de causar conflito, que é o caso de muita gente. O problema em ser assim é que isso acaba gerando um sentimento de que estamos sendo manipulados, incompreendidos e, como consequência, continuamos a guardar ressentimentos, que só prejudicam nossos relacionamentos;

2. Agressiva – a pessoa expressa o que tem a dizer com intimidações, rotulações e raiva. E não é só aquele tipo de gente que resolve tudo no grito. Como também aquele tipo de pessoa que sempre usa o sarcasmo, a ironia e coisas do gênero, que causam feridas emocionais no outro;

3. Assertiva – ser assertivo é ter a capacidade de expressar suas ideias e até mesmo discordar, mas sempre respeitando o ponto de vista do outro. Trata-se de uma habilidade e, como toda habilidade precisa ser ser DESENVOLVIDA.

Agora você entendeu quer ser passivo ou agressivo só gera mais e mais problemas. Como ser assertivo, então?

É preciso dedicação e persistência para desenvolver uma comunicação assertiva e eu quero isso pra você.

Por isso, vou te passar algumas dicas de como conversar com alguém de maneira assertiva e resolver os problemas de relacionamento.

Antes de mais nada, tenha em mente que a comunicação é tanto verbal (palavras, entonação) quanto não-verbal (posturas, olhares, emoções, etc). Não apenas o que você fala, mas o como você fala.

Vamos às dicas, então:

  1. Descreva – especifique aquilo que te incomodou no que a pessoa disse ou fez. Diga hora, lugar, palavras exatas, se possível. Quantos mais específico você for, melhor será sua comunicação. Ao invés de dizer “faz tanto tempo que você não fica comigo”, que é uma frase solta, genérica, você pode dizer “nós só conversamos 2 vezes essa semana ou você se lembra naquele dia, em que você disse isso e fez aquilo”;
  2. Expresse – os seus sentimentos, mostre o que você sentiu. Você se lembra quando naquele dia você disse isso, eu me senti aquilo. Não é lugar de rotular o outro, nem a si próprio. É apenas admitir que quando a pessoa fez ou disse algo você sentiu tal e tal sentimento. A pessoa não merece ser rotulada, pois todos temos defeitos e qualidades e, em alguns casos, a pessoa nem sabe como você se sentiu e é você quem tem a responsabilidade de falar sobre seus sentimentos;
  3. Especifique – a mudança que você quer ver nas atitudes e comportamentos da outra pessoa. O outro merece saber como deve agir e falar com você e só quem sabe como fazer isso é você. Depois que você descreveu especificamente o que aconteceu, expressou como você se sentiu, você sugere uma mudança clara de atitude na outra pessoa. Por exemplo: “eu queria que você adotasse tal comportamento ou parasse de agir de tal forma”
  4. Mostre – as consequências positivas da mudança que você acabou de sugerir. Você pode dizer: “se você adotar esta postura, nossa relação vai melhorar, vai ficar mais saudável, a gente vai se entender, vamos conseguir terminar o trabalho de maneira eficaz, etc”.

Eu sei que parece muita coisa e, até mesmo difícil aplicar estes passos numa conversa. É por isso que eu gostaria de te desafiar a pensar em algo que você sabe que precisa resolver com alguém.

Aplique as dicas que eu sugeri anteriormente da seguinte forma: escreva um roteiro da conversa que você precisa ter com a pessoa. Lembre-se de que uma comunicação saudável envolve descrever, expressar, especificar e mostrar. Treine também sua fala, pois o como você diz é tão importante quanto as palavras que usa.

Ser assertivo é uma arte e, como as demais, precisa ser praticada por você todos os dias, para que possas colher os frutos em seus relacionamentos.

Deixe uma resposta

Mais
Artigos